Mário Barbará, Chico Saratt: Desgarrados (2017)

Brasil (RS)
Longa-metragem | Registro de espetáculo musical
DVD, cor, 68 min

Direção: Rene Goya Filho.
Companhia produtora: Estação Filmes

Lançamento com show: Porto Alegre (RS), Teatro CIEE, 30 jun 2017, sex, 21h

 

As trajetórias musicais de Chico Saratt e Mário Barbará já se cruzaram muitas vezes ao longo das décadas. O fato de ambos serem de São Borja favoreceu evidentemente a aproximação – mas essa afinidade vai além do óbvio e deita raízes mais fundas. Os dois são artistas que se sentem à vontade com um pé em cada mundo. Fronteiriços, Saratt e Barbará sabem que as zonas limítrofes são mais interessantes quando encaradas como instância de união, não de separação. Gravado em Porto Alegre, Desgarrados passeia pelo primoroso cancioneiro de Barbará, pioneiro em borrar na cultura gaúcha a divisão estética entre campo e cidade. Herdeiro desse desembaraço em transitar do regional ao cosmopolita, do elétrico ao acústico, da tradição à modernidade, do rock ao xote, Saratt colocou para dançar juntas a bombacha e a calça Lee: chamou músicos de diferentes estilos para homenagear o desbravador Barbará – de inhapa, teve ainda a galhardia de convidar o homenageado para a festa. Desgarrados por opção artística, Chico Saratt e Mário Barbará dividem o palco neste DVD que celebra uma das mais inspiradas e universais obras musicais produzidas no Rio Grande do Sul. Parceiros de vida e de arte, seguem fiéis ao espírito da canção: olhos abertos, o longe é perto, o que vale é o sonho.
Chico Saratt – Começou a carreira de músico em 1982, na cidade de São Borja. Participou de diversos festivais gaúchos, vencendo em várias ocasiões – com destaque para a Calhandra de Ouro ganha na Califórnia da Canção de 1998 (Uruguaiana) e a vitória por três vezes na Moenda da Canção (Santo Antônio da Patrulha). Morou na Europa entre 1989 e 1991, divulgando a música regional gaúcha e brasileira no continente. Em 1992, retorna ao país e grava o disco Do sul do Brasil (1999), lançado também em Portugal, com produção de Luiz Carlos Borges, em que registra clássicos da música nativista. Em 2013, o cantor e compositor grava Capital, álbum com sotaque urbano que contou com as participações de nomes como Nei Lisboa, Nelson Coelho de Castro, Bebeto Alves, Hermes Aquino e Bidê ou Balde.
Mário Barbará – O músico transformou a música regional gaúcha com o sucesso "Desgarrados", escrita com Sérgio Napp. A canção foi um marco: ao vencer em 1981 a Califórnia da Canção em Uruguaiana, tornou-se o primeiro tema da chamada linha de projeção folclórica a conquistar a Calhandra de Ouro, prêmio máximo do festival. Na esteira desse êxito – "Desgarrados" já soma mais de 30 gravações –, o cantor e compositor de São Borja passa a se apresentar com o Musical Saracura, grupo com o qual classificou "Velhas brancas" no festival MPB Shell, em 1981, e defendeu "Campesina" na Califórnia da Canção de 1982, com bateria e tudo no palco, para estranhamento dos mais tradicionalistas. Em 2011, lançou o disco Memória, produzido por Chico Saratt e Rosane Furtado, gravando clássicos, incluindo suas parcerias com o grande poeta Apparicio Silva Rillo. [Texto: Roger Lerina, do encarte]

Desgarrados é um dos últimos registros audiovisuais de Mário Barbará, falecido pouco tempo depois devido a um câncer. Mário Barbará Dornelles. São Borja, 22 de outubro de 1954. Porto Alegre, 2 de maio de 2018. Entre as músicas do show, fragmentos de materiais de arquivo como participação de Barbará e Saratt em festivais, programas e reportagens de TV e clipes, materiais estes que aparecem mais completos no making of Desgarrados – O filme.

Ficha técnica


IDENTIDADES
Mário Barbará (voz, violão),
Chico Saratt (voz, violão).
Músicos: Miguel Tejera (baixo acústico e elétrico), Matheus Alves (violões nylon e aço), Guilherme Goulart (acordeon), Paulinho Goulart (teclado, acordeon), Marco Michelon (bateria), Rafa Schüler (guitarras).
Participação especial: Renato Borghetti (gaita faixa 04), Ernesto Fagundes (voz, bombo legüero faixa 06), Dado Jaeger (faixa 08), Texo Cabral (flauta faixa 08), Hique Gomez (faixa 09), Neto Fagundes (voz faixa 11), Nilton Jr. (piano faixa 14), Thedy Corrêa (voz faixa 14).
Não creditado: Fonso Barbará (irmão de Mário, letrista faixa 12, na plateia).

DIREÇÃO
Direção: Rene Goya Filho.
Assistência de direção: Guilherme Moreno, Rafael Roso Berlezi.

PRODUÇÃO
Direção de produção: Vivian Schäfer.
Assistência de produção: Marta Baptista.
Produção artística: Chico Saratt, Rene Goya Filho.
Transporte e apoio: Nilson Garcia.

SHOW
Produção: Duca Duarte.
Produção executiva: Jaqueline Mielke.
Assistência de produção: Francisco Goya.
Iluminação e projeto de luz: André Domingues.
Técnico de PA: Clauber Scholles.
Roadie: Alexandre Scherer.

FOTOGRAFIA
Direção de fotografia: Pablo Chasseraux.
Operação de câmera: Amarello Rodrigues, André Lopez Peixoto, Guilherme Moreno, Marcelo dos Santos, Pedro Domingues, Rafael I. R. Moreira, Rafael Wilhelm.

Fotografia de cena: Eduardo Rocha.

SUÍTE DE PRODUÇÃO
Direção de imagem: Daniel Dode.

ARTE
Direção de arte: Janaína Falcão.
Assistência de cenografia: André Costa.

Figurino: Ruby Saratt.

SOM
Engenheiro de gravação: Rafael Rhoden.
Assistência de gravação: Luciano Garofalo Leite.

MÚSICA
Direção musical: Paulinho Goulart.
Produção musical: Chico Saratt, Mário Barbará.

Faixas:
01. "Era uma vez" (música: Mário Barbará, letra: Apparicio Silva Rillo; milonga)
02. "Roda canto" (música: Mário Barbará, letra: Apparicio Silva Rillo)
03. "Campesina" (música: Mário Barbará, letra: Sérgio Napp; rancheira)
04. "Portas do sonho" (música: Mário Barbará, letra: Sérgio Napp)
05. "Retirante" (música: Mário Barbará, letra: Sérgio Napp; milonga)
06. "Colorada" (música: Mário Barbará, letra: Apparicio Silva Rillo; fandango/toada)
07. "Onde o cantor expõe as razões de seu canto" (música: Mário Barbará, letra: Sérgio Napp; milonga)
08. "Presságio" (música, letra: Mário Barbará)
09. "Fado" (música, letra: Mário Barbará; fado)
10. "Rua da minha infância" (música: Mário Barbará, letra: Ubirajara Raffo Constant)
11. "Xote da amizade" (música, letra: Mário Barbará)
12. "Medo" (música: Mário Barbará, letra: Fonso Barbará)
13. "Romaria dos motoqueiros" (música: Mário Barbará, letra: Luiz Coronel)
14. "Desgarrados" (música: Mário Barbará, letra: Sérgio Napp; valsa/toada)
"Roda canto" [reprise; créditos finais]

EXTRAS
• Fotos. Duração: 02:48.
Making of: Desgarrados – O filme. Sinopse: Além do ensaio no Gravador Pub, trechos de um passeio em barco pelo Rio Guaíba com Barbará, Saratt e Bebeto Alves; e no Festival da Barranca, em São Borja. Identidades: Chico Saratt, Mário Barbará, Bebeto Alves, Rene Goya Filho, Neto Fagundes, Ernesto Fagundes, Thedy Corrêa. Arquivo: Antonio Augusto Fagundes. Companhia produtora: Estação Filmes (Porto Alegre). Duração: 18:14.

ARQUIVO
Materiais em Desgarrados (DVD) + Desgarrados – O filme (making of):
Registro: "Desgarrados" por Mário Barbará e Grupo Nascentes (na 11ª Califórnia da Canção Nativa do Rio Grande do Sul, Uruguaiana, 1981)
Clipe: Mário Barbará: Desgarrados
Programa de TV: "Aramado" (Mário Barbará) por Mário Barbará
Clipe: Mário Barbará: Velhas brancas (música: Mário Barbará, letra: Sérgio Napp)
Registro: "Campesina" por Mário Barbará e Musical Saracura
Clipe: Mário Barbará: Campesina (RBS TV)
Programa de TV: Galpão Crioulo: Mário Barbará e Chico Saratt (RBS TV, 2002)
Registro: "Dança das mãos" (Chico Saratt, Mauro Moraes) por Chico Saratt (em São Borja)
Registro: "Xotes do Sul" (música, letra: Mário Barbará) por Chico Saratt
Clipe: Chico Saratt: Última luz (música, letra: Chico Saratt) [creditado como Alguma luz]
Registro: "Mala de garupa" (música: Mário Barbará, letra: Sérgio Napp; xote) por Mário Barbará e Chico Saratt
Registro: "Milongas tristes" (música, letra: Mário Barbará) por Mário Barbará e Chico Saratt
Programa de TV: Os Angueras, Mário Barbará, Chico Saratt, Yamandu Costa, Renato Borghetti, Miguel Bicca
Registro: "Milongas tristes" + "Desgarrados" por Mário Barbará, Chico Saratt e Bebeto Alves

FINALIZAÇÃO
Montagem e autoração: Rafael Roso Berlezi.

Mixagem: Rafael Rhoden.
Masterização: Marcos Abreu.
Técnicos: Daniel Donato, Marcos Radins

EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS
Guilherme Goulart usa captações Harmonik.
Marco Michelon usa pratos Orion Cymbals.
Rafa Schüler usa correias Basso Straps e palhetas Lost Dog Guitar Wear.
Criação do logo: Tape Motion (Porto Alegre).
Pesquisa de imagens de arquivo: Cedoc RBS TV.
Unidade móvel: Tango Gravações em Movimento (Porto Alegre).
Estúdio de mixagem: Fly Áudio Produtora (Porto Alegre).

MECANISMOS DE FINANCIAMENTO
Companhia produtora: Estação Filmes (Porto Alegre).
Apoio: Ruby Saratt – Haute Couture.

AGRADECIMENTOS
Agradecimento especial: Alice Urbim, Nice Sordi, Cedoc RBS TV.

FILMAGENS
Brasil / RS, em Porto Alegre, gravado ao vivo no Gravador Pub em 18 de janeiro de 2017, quarta-feira.

ASPECTOS TÉCNICOS
Duração: 1:07:50
Som: Dolby Digital 2.0 / Dolby Digital 5.1
Imagem: cor
Proporção de tela: 1.85
Formato de captação:
Formato de exibição: DVD
Tiragem (DVD): AA001000.

DIVULGAÇÃO
Design gráfico: Visual Agência – Comunicação e Design.
www.desgarradosdvd.com.br
Facebook: /desgarradosdvd
www.discpress.com.br

PREMIAÇÃO
• 26º Prêmio Açorianos de Música / Secretaria Municipal da Cultura / Prefeitura de Porto Alegre, 2017: indicação a melhor DVD.

DISTRIBUIÇÃO
Classificação indicativa:
DVD (digipack): Distribuição: Porto Alegre: Disc Press Comércio Fonográfico Ltda. DRS3926. Autoração: 12 maio 2017. Extras. Inclui encarte 8p. com as letras das músicas, ficha técnica; texto e pequenas biografias de Barbará e Saratt por Roger LERINA.
Disponível também em CD: mesmas 14 faixas.
Contato: discpress@discpress.com.br.

OBSERVAÇÕES
Complementação aos créditos: Contracapa e encarte do DVD.
Produção executiva: Duca Duarte (finais) e Produção do show: Duca Duarte (encarte).

Grafias alternativas: Aparicio Silva Rillo e Apparicio Silva Rillo | Hique Gomes | Luciano Garofalo | Rafael Berlezi | Leonice Sordi | Rafa Moreira
Nomes completos: Nilton Jr. da Silveira | Francisco Carlos Trindade Saratt = Chico Saratt

DISCOGRAFIA
Mário Barbará
Chico Saratt

BIBLIOGRAFIA

Como citar o Portal


Para citar o Portal do Cinema Gaúcho como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:
Mário Barbará, Chico Saratt: Desgarrados. In: PORTAL do Cinema Gaúcho. Porto Alegre: Cinemateca Paulo Amorim, 2024. Disponível em: https://www.cinematecapauloamorim.com.br//portaldocinemagaucho/1122/mario-barbara-chico-saratt-desgarrados. Acesso em: 23 de maio de 2024.